Resenha #01: ‘O pai da menina morta’ de Tiago Ferro

Foto: Luane Caroline

Por Luane Caroline Nascimento

‘O pai da menina morta’ escrito por Tiago Ferro foi minha última leitura de 2018. Uma leitura pesada. Uma obra sobre uma ferida e que causa uma ferida, que tira o leitor da zona de conforto. A obra escancara, de forma sincera, sensível e inteligente o processo do luto que passa pelos sentimentos de culpa, negação, raiva.

Conheci o livro por indicação do Canal Livrada! (a resenha dele você pode conferir aqui). Com um texto não linear o autor mistura várias formas de linguagens com trechos de diários, conversas, listas de compras, fotografias, páginas da web. Ao meu ver a mescla de formas de linguagem é um dos maiores ganhos da narrativa e a melhor forma do pai da menina morta demonstrar que, mesmo sem querer, o pensamento dele não sai da filha e que ela estará sempre presente em tudo. Há, por exemplo, uma lista de compra do supermercado que inclui itens como “ficar firme” e “pensar na Minha Filha a cada cinco minutos”. A narrativa é difusa como o pensamento humano em crise e as lembranças são misturadas como se ele procurasse sinais ou avisos que ela morreria antes disso acontecer.

Alguns relatos parecem escritos logo após acontecer por tratarem o sentimento como uma dor física do pai.

O tema da morte de crianças ainda é tabulado e Tiago Ferro conseguiu fazer uma entrega (ficcional, vale reforçar) extremamente sincera e verdadeira. Ele quer o trocar de lugar com a filha por temer esquecer o rosto dela ou de se afastar da filha por esquecer da dor.

O sentimento de culpa percorre o personagem pela narrativa toda. Por ter deixado a menina morrer, por tudo que ele não fez enquanto ela estava viva, além do medo de um dia ter que enterrar a Outra Filha.

Há alguns trechos que me marcaram como, logo no início, ele diz que não quer ser o pai da menina morta. Mas ele sempre será o pai da menina morta. Ou o trecho que ele imagina um tribunal que o julga por deixar a filha morrer. “Que espécie de pai você é?”. Também há uma lembrança da temperatura do corpo da menina saindo da febre inicial de 37,8° até o momento que o corpo gela completamente já sem vida.

Todo mundo que já perdeu alguém se identifica em pelo menos uma página do livro. Não há como ser a mesma pessoa depois dessa leitura. Quem convive comigo sabe que indico a obra sem titubear.

Ficha técnica:
Título: O pai da menina morta
Autor: Tiago Ferro
Ano e país de publicação: 2018, Brasil
Editora: Todavia
Estrelas: 5

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.