Resenha #07: ‘Forte Apache’ do Ramon Ronchi

Foto: Luana Caroline Nascimento

Por Luana Caroline

Uma das resenha dessa semana é um livro de poesia que veio indicado pela curadoria de outro poeta. ‘Forte Apache’ é o livro de estreia do ponta-grossense Ramon Ronchi, que chegou nas minhas mãos pelo Kleber Bordinhão, essa informação será necessária para que percebas o recorte desse texto. O livro divide os poemas em temáticas e nesta resenha usarei cinco poemas para demonstrar minhas impressões.

Os primeiros poemas são os mais fortes do livro, como o que dá título à obra, e tratam da violência doméstica a partir da memória infantil fazendo o ato de crescer presente na narrativa. A violência é retratada pelo olhar da criança que a época não entendia o que estava com clareza o que acontecendo. A imaginação infantil é uma memória forte nesta parte do livro.

Aquela realidade dolorida expressa pela sutileza de uma alma de passarinho impacta o leitor, lembrou-me a sensação que tive ao ler ‘O pai da menina morta’ (você pode conferir a resenha aqui), embora o foco das narrativas não sejam os mesmos a sensação de desconforto pela franqueza do texto é impressionante.

A segunda parte do livro trata de críticas políticas com versos abertos, como “a cadela do facismo é debochada/ a plena luz do dia morde canelas magras”. Dessa sessão temática destaco também o poema “brasil escravocrata” que em pequenas doses, tão sutis que os da primeira parte do livro, nos lembra que todo branco carrega o crime da escravidão consigo e que estes mesmos brancos tentam esquecer a qualquer custo essa memória sangrenta.

Fazer poesia disso tudo, por mais belo que pareça, é um processo de entrega. Mesmo com textos ficcionais (como o Fictícias, do já citado Kleber Bordinhão) cada página também revela um pouco do Ramon, em cada escolha de tema. Ainda que em uma das páginas esteja expresso que “o poeta é um fingidor/ e não há maneira mais sincera de mentir/ que a poesia/ assim como aprendi com pessoa/ assim como me ensinou manoel”, pois afinal o texto poético sempre nos expressa e fica impresso em quem lê. Digo isso, também, porque o posicionamento político presente no livro me foi claro e cativo desde o início e me pode ser reafirmado na entrevista concedida a blog (confira aqui).

Avançando pelas temáticas e antes de encerrar esse texto destaco uma última poesia que assim como a citada anteriormente brinca com as grandes referências literárias: “Ramon e o mundo”. Este texto não é feliz sozinho, mas sim e também, pela diagramação ao lado de “soneto ao fim de viagem”, pois as duas passam pelo tema do crescimento e que crescer nem sempre é fácil neste “mundo, mundo, vasto mundo”.

É uma obra completa, necessária para nossos dias. O autor em suas linhas saí do livro e nos abraça, seguiremos e resistiremos juntos.

Ficha técnica:
Título: Forte Apache
Autor: Ramon Ronchi
Ano e país de publicação: 2019, Brasil
Número de páginas: 105
Editora: Penalux
Estrelas: 5

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.