Bookhaul #04: Leituras de junho

Todo mês faremos um vídeo com os títulos que pretendemos ler. O objetivo é apresentar os livros contando sobre seu conteúdo e mostrar as suas edições. Confira a nossa seleção de obras para o mês de junho.

Lista dos livros indicados no vídeo:

  • As bonecas negras de Lara – Aparecida de Jesus Ferreira
  • A cor púrura – Alice Walker
  • Uma breve história do feminismo no contexto euro-americano – Antje Schrupp
  • Mais ao sul – Paloma Vidal
  • O último minuto custa a chegar, mas é maravilhoso – Vitor Toscano
  • Jude, O obscuro – Thomas Hardy
Anúncios

Resenha #08: ‘Rua Aribau’ coletânea de poemas organizada pela Alice Sant’Anna

Foto: Luana Caroline

Por Luana Caroline

“Rua Aribau” é uma coletânea de poemas publicados pela TAG e organizado pela Alice Sant’Anna. É um complemento ao livro “Nada” de Carmen Laforet. Com dosagens de melancolia e até humor os poemas são como um mergulho na alma e no universo feminino da personagem principal de “Nada”, Andrea que se muda para Barcelona para estudar e tenta fazer de uma casa desestruturada um lar para ela.

O livro combina 15 poesias de autoras brasileiras contemporâneas com desenhos exclusivos de artistas plásticas. É um livro sobre o feminino feito por mulheres. Há coisas que só uma mulher consegue expressar. Essa obra é uma delas!

A leitura é rápida, para ser feita em um dia apenas (ainda publicarei aqui uma lista de livros para se ler em um dia) e esquentar o coração. Se essa coletânea fosse um som, seria um violoncelo, e se fosse um carinho, seria carinho de avó. São poetisas brasileiras que expandem a conexão literária com as artes visuais promovendo um novo diálogo. Entre os assuntos em comum do livro, o doloroso ato de crescer representado em viagens, decadência, solidão adaptação e inequação que migra entre o menina e mulher.

Na apresentação o livro traz a cidade como poesia. Vagar, andar, tropeçar, enxergar. Tudo é poesia. São mulheres em deslocamento como na poesia de Alice Ruiz que pessoas chegam e se vão “como se pudessem chegar/ a algum lugar/ onde elas mesmas/ não estivessem”.

Aqui a personagem principal é si própria, é autoconhecimento, autoestima e compreensão do próprio lugar no mundo.

Ficha técnica:
Título: Rua Aribau
Organização: Alice Sant’Anna
Ano e país de publicação: 2018, Brasil
Número de páginas: 76
Editora: TAG Experiências Literárias
Estrelas: 5

Podcast #04: Kleber Bordinhão

Produção quinzenal sobre literaturas que podem derrubar o porco.

Convidamos Kleber Bordinhão para conversar sobre livros, poesia e seu lado leitor – nosso convidado é escritor. Kleber tem cinco livros de poesia publicados. Sua última obra é “Sentir é sucinto”. Além do papo sobre poesia, claro, perguntamos para nosso convidado quais seriam os cinco livros que ele salvaria em caso de incêndio.

A seguir todos os livros, artistas, bandas, músicas e listas citados no podcast:

Livros:
Poema Resíduo – Carlos Drummond de Andrade
Ai De Ti, Copacabana – Rubem Braga
Ano Neon – Kleber Bordinhão
Distâncias Do Mínimo – Kleber Bordinhão
As Meninas – Lygia Fagundes
Livros Da Série Reencontros
O Homem Duplicado – José Saramago
As Portas Da Percepção – Aldous Huxley
A Vida Como Ela É – Nelson Rodrigues
Mulheres/Presos Que Menstruam – Nana Queiroz
Olhando As Nuvens Vagabundas – Rubem Braga
O Xangô De Baker Street – Jô Soares

Podcast:
Botecast

Autores:
Mario Prata
Paulo Mendes Campos
Fernando Sabino
Ramon Ronchi

Indicação de leitura para nós:
Um Útero É Do Tamanho De Um Punho – Angélica Freitas

5 livros:
Qualquer livro do Drummond
O Enterro Da Cafetina – Marcos Rey
Ai De Ti, Copacabana – Rubem Braga
Memórias Póstumas De Brás Cubas – Machado de Assis
Ulisses – James Joyce

O porco Napoleão é uma produção quinzenal do projeto “Pássaro Liberto”, gravado no Cactus Coffee Bar e editado pela equipe do Cultura Plural.

Resenha #07: ‘Forte Apache’ do Ramon Ronchi

Foto: Luana Caroline Nascimento

Por Luana Caroline

Uma das resenha dessa semana é um livro de poesia que veio indicado pela curadoria de outro poeta. ‘Forte Apache’ é o livro de estreia do ponta-grossense Ramon Ronchi, que chegou nas minhas mãos pelo Kleber Bordinhão, essa informação será necessária para que percebas o recorte desse texto. O livro divide os poemas em temáticas e nesta resenha usarei cinco poemas para demonstrar minhas impressões.

Os primeiros poemas são os mais fortes do livro, como o que dá título à obra, e tratam da violência doméstica a partir da memória infantil fazendo o ato de crescer presente na narrativa. A violência é retratada pelo olhar da criança que a época não entendia o que estava com clareza o que acontecendo. A imaginação infantil é uma memória forte nesta parte do livro.

Aquela realidade dolorida expressa pela sutileza de uma alma de passarinho impacta o leitor, lembrou-me a sensação que tive ao ler ‘O pai da menina morta’ (você pode conferir a resenha aqui), embora o foco das narrativas não sejam os mesmos a sensação de desconforto pela franqueza do texto é impressionante.

A segunda parte do livro trata de críticas políticas com versos abertos, como “a cadela do facismo é debochada/ a plena luz do dia morde canelas magras”. Dessa sessão temática destaco também o poema “brasil escravocrata” que em pequenas doses, tão sutis que os da primeira parte do livro, nos lembra que todo branco carrega o crime da escravidão consigo e que estes mesmos brancos tentam esquecer a qualquer custo essa memória sangrenta.

Fazer poesia disso tudo, por mais belo que pareça, é um processo de entrega. Mesmo com textos ficcionais (como o Fictícias, do já citado Kleber Bordinhão) cada página também revela um pouco do Ramon, em cada escolha de tema. Ainda que em uma das páginas esteja expresso que “o poeta é um fingidor/ e não há maneira mais sincera de mentir/ que a poesia/ assim como aprendi com pessoa/ assim como me ensinou manoel”, pois afinal o texto poético sempre nos expressa e fica impresso em quem lê. Digo isso, também, porque o posicionamento político presente no livro me foi claro e cativo desde o início e me pode ser reafirmado na entrevista concedida a blog (confira aqui).

Avançando pelas temáticas e antes de encerrar esse texto destaco uma última poesia que assim como a citada anteriormente brinca com as grandes referências literárias: “Ramon e o mundo”. Este texto não é feliz sozinho, mas sim e também, pela diagramação ao lado de “soneto ao fim de viagem”, pois as duas passam pelo tema do crescimento e que crescer nem sempre é fácil neste “mundo, mundo, vasto mundo”.

É uma obra completa, necessária para nossos dias. O autor em suas linhas saí do livro e nos abraça, seguiremos e resistiremos juntos.

Ficha técnica:
Título: Forte Apache
Autor: Ramon Ronchi
Ano e país de publicação: 2019, Brasil
Número de páginas: 105
Editora: Penalux
Estrelas: 5

Bookhaul #03: Leituras de maio

Todo mês faremos um vídeo com os títulos que pretendemos ler. O objetivo é apresentar os livros contando sobre seu conteúdo e mostrar as suas edições. Confira a nossa seleção de obras para o mês de maio.

Lista dos livros indicados no vídeo:

  • Rua Aribau – Alice Santtanna org.
  • Pó de lua: nas noites em claro – Clarice Freire
  • Um útero é do tamanho de um punho – Angélica Freitas
  • Vida e vidas – Luiza Loreiro
  • Star Wars: o último jedi – Jason Fry
  • A guerra não tem rosto de mulher – Svetlana Aleksiévitch
  • O sonho dos heróis – Adolfo Bioy Casares
  • Saudade – Melissa Garabeli e Phellip William